Procedimentos que antecedem uma cremação
  • Funerária Bom Senhor

Procedimentos que antecedem uma cremação



Muitas pessoas se perguntam, quais são os procedimentos que antecedem um serviço de cremação? Mas afinal, o que é tecnicamente a cremação? Nada mais que uma técnica funerária que reduz o corpo a restos cremados, através da incineração dos restos mortais. Por ser um procedimento regulamentado no Brasil em 1973, através da lei de registros públicos 6.015, é relativamente novo no país, e vem a cada dia crescendo. 


Talvez o desconhecimento dos procedimentos adotados para dar continuidade na cremação tenha interferido no crescimento do serviço. Um número maior de pessoas optam para que seus corpos, após a sua morte, sejam cremados e suas cinzas dadas uma destinação especifica.


Contudo, o que de fato é necessário para que um corpo seja cremado? 


Na lei encontramos apenas um artigo que trata da questão especifica da cremação Lei 6.015 de 31/12/1973: 


"Art. 77º - § 2º A cremação de cadáver somente será feita daquele que houver manifestado a vontade de ser incinerado ou no interesse da saúde pública e se o atestado de óbito houver sido firmado por 2 (dois) médicos ou por 1 (um) médico legista e, no caso de morte violenta, depois de autorizada pela autoridade judiciária.


Ou seja, basicamente, a pessoa tem que expressar o desejo de ser cremada, sendo que esse desejo, pode ser expresso das seguintes maneiras:


1) Declaração particular de vontade (com reconhecimento de firmas e registro em cartório);

2) Declaração pública em cartório de notas;

3) Declaração verbal a um familiar ou amigo (logo o ouvinte, declara em cartório que esse foi o desejo do falecido).


Há também, os raros casos, que por interesse da saúde pública o corpo seja cremado, mesmo sem a declaração de vontade, esse interesse é expresso através de autorização judicial para cremação. É conhecido casos de óbitos com causas que mesmo após a morte o vírus continua se multiplicando no corpo, tornando-o transmissor da doença, como foi o caso do ebola na Libeira (continente africano).


Após a vontade expressa e devidamente documentada, seguimos para o próximo passo, que é a declaração de óbito assinada por dois médicos com C.R.M. (Concelho Regional de Medicina) ou um médico legista, independente da causa morte.

Em casos de morte violenta, a esclarecer ou indeterminada, é necessária autorização judicial para cremação através de um advogado.


A importância de contratar a funerária correta para condução de tais procedimentos, faz toda diferença, em um momento de tanta dor, sabemos que é uma situação delicada, confiar na empresa certa é importante, a Funerária Bom Senhor está disposta a prestar o melhor atendimento, com a devida atenção aos detalhes para a cerimônia fúnebre, ao atender seus clientes com respeito e dedicação necessária para o momento.



Copyright 2019 © Funerária Bom Senhor.

Desenvolvido por Bonita Comunicação Digital.